Novela X Novela

Falta ousadia para Record bater Globo, diz especialista em novelas

 

Os constantes assédios da Record à audiência da Globo geram, desde o começo deste ano, rebuliço junto aos especialistas de TV. No dia 17 deste mês, a novela “Prova de Amor” (Record) encerra seus capítulos. O grande trunfo do folhetim foi constranger no Ibope o maior produto da emissora carioca, o “Jornal Nacional”.

Segundo o especialista em novelas Nilson Xavier, 37, se a Record quer manter a pose desafiadora precisa ousar, sobretudo na teledramaturgia. Responsável pelo site http://www.teledramaturgia.com.br/, Xavier é mais do que um noveleiro. Ele pesquisa e cataloga o gênero há duas décadas.

“A novela ‘Prova de Amor’ não agregou nada à teledramaturgia. A emissora não podia errar, então trouxe o arroz com feijão do folhetim para cativar o público que torceu o nariz as para inovações de ‘Bang Bang’, da Globo”, declara Xavier sobre o embate entre as duas emissoras. Xavier concorda com as críticas de que a novela da Record foi muito “básica” e de que seu didatismo irritou parte do telespectador.

“Para ter um padrão Record de qualidade a emissora terá de criar um padrão seu, e não copiar o da Globo. Não acho errado copiar, vejo como uma estratégia para atrair o público. Mas creio que a Record pode criar um estilo próprio”, diz.

Apesar das críticas à emissora de Edir Macedo, Nilson diz “adorar” os planos da Record de ameaçar a hegemonia global. “É bom o público perceber que a Globo não é a única”, explica.

No campo dos folhetins nacionais, Xavier classifica o primeiro semestre de 2006 como um período “muito bom”, com destaque para “Belíssima”. Mas houve exceções. “Só o SBT continua na contramão, já que ‘Os Ricos Também Choram’ e a nova ‘Cristal’ não conseguiram nem fisgar o público alvo da emissora, que gosta de adaptações latinas.”

“Cristal” é a aposta do SBT para este ano. A novela traz uma adaptação do texto da cubana Delia Fiallo (responsável por “Esmeralda”), feita pela autora Ana Maria Nunes. Cada capítulo do folhetim tem o custo de R$ 70 mil. O diretor da novela é Herval Rossano.

“Noveloteca”

O portal de Xavier começou em 1999, como hobby, com o nome de “Telenovela”. Formado em administração de empresas e trabalhando com informática, o noveleiro reinaugurou a página em 22 de julho de 2003, quando se comemora a estréia da primeira telenovela diária do Brasil. Era uma homenagem a “2-5499 Ocupado” (TV Excelsior, 1963). A partir daí o site começou a se chamar “Teledramaturgia”.

Sinopses, elencos e bastidores de cerca de 800 produções constituem o banco de dados do site. Só da Globo são 356 títulos, e da Tupi 127. As informações podem ser visualizadas cronologicamente ou em ordem alfabética.

O noveleiro listou também minibiografias de 48 autores. Quem quiser a trajetória e o aperfeiçoamento da novela no decorrer dos anos, pode acessar a seção “história”. Nela, a história do gênero se divide em oito etapas, começando em 1951 com “Sua Vida Me Pertence”.

Fonte: Folha online

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s